Saúde

Quando é necessário fazer o exame de mamografia?

Escrito por Drogarias Brasil

A estimativa do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) para 2018 é de aproximadamente 60 mil novos casos de câncer de mama, número maior que o esperado para o biênio 2016/2017. Nesse cenário, o exame de mamografia merece ainda mais a atenção das mulheres.

No Brasil, o serviço pode ser encontrado gratuitamente no SUS, o Sistema Único de Saúde. Mas, afinal, você sabe qual a idade para começar a fazer essa avaliação e o diagnóstico que ela é capaz de gerar? Continue lendo este post para entender isso e muito mais a respeito desse procedimento tão importante!

O que é o exame de mamografia?

Trata-se de um raio-X realizado na área das mamas com intuito de detectar qualquer espécie de nódulo, microcalcificações, assimetrias mamárias ou algum tipo de alteração não palpável ou perceptível. O exame é feito através do mamógrafo, aparelho que comprime as mamas para conseguir uma imagem detalhada da região.

O real objetivo do procedimento é diagnosticar precocemente o câncer de mama. Sendo uma das doenças que mais assustam as mulheres, os médicos recomendam que esse tipo de exame seja feito anualmente, a partir dos 35 anos, para quem tem casos dessa patologia na família.

Quando é necessário fazer a mamografia?

Como mencionado, mulheres acima de 35, que já apresentam nódulos ou casos de câncer de mama no histórico familiar, devem realizar os exames com mais frequência para analisar a evolução ou o início de um corpo estranho. Para aquelas com idade superior a 40, o exame torna-se indispensável.

Mulheres com idade inferior à anunciada e que optam pela prevenção, podem fazer uma ultrassonografia ou ressonância magnética. Além de evitarem as radiações de uma mamografia, os dois exames citados são mais eficazes para essa faixa etária, já que a estrutura das mamas mais jovens pode ser mais densa e dificultar a qualidade do exame.  

Como é feita a mamografia?

O exame de mamografia leva em torno de 15 minutos. Com a paciente em pé, as mamas serão comprimidas por duas placas planas. Assim que ajustado, o tecido mamário receberá as radiações que, por fim, mostrarão se a mulher tem alguma alteração na área.

Para agilizar o processo, o ideal é ir com uma roupa mais prática e não usar nenhum tipo de hidratante ou desodorante. Também é válido ressaltar que algumas mulheres costumam se sentir desconfortáveis com o procedimento. Assim, para não ficar muito dolorida, agende para depois do período menstrual — dias em que estará menos sensível.

Há quantos tipos de mamografia?

Para detectar eventuais alterações na mama é possível encontrar dois tipos de exames: o convencional e o digital.

O primeiro e mais tradicional é um filme processado que, após a exposição ao raio-X, precisa de calor e umidade para gerar o resultado final. Por essa razão, alguns exames, quando mal manejados, podem apresentar manchas suspeitas e assustar a paciente.

Já o segundo tipo, o digital, torna o raio-X um sinal elétrico e o transfere direto ao computador. Os efeitos de ambos são confiáveis, entretanto, no digital, o risco de danos externos é menor.

Se você já passou dos 40, a hora de se cuidar é agora! Lembre-se de que essa avaliação é um dos métodos mais eficazes para diagnosticar precocemente o câncer de mama. Se alguém na sua família tem ou teve a doença, os zelos devem ser redobrados.

Agora que você aprendeu um pouco mais sobre o exame de mamografia, conheça as principais terapias alternativas para o tratamento de câncer de mama!

Sobre o autor

Drogarias Brasil

Deixar comentário.