Medicamentos

Quais os perigos de dar remédio para criança sem orientação médica?

Escrito por Drogarias Brasil

No Brasil, alguns medicamentos podem ser comprados sem receita médica. A lista é composta por aqueles que apresentam baixo risco ou que tratam de doenças menos graves por um curto período.

No entanto, dar remédio para criança sem a devida orientação médica pode agravar o quadro ou trazer outros problemas ainda mais graves. No artigo de hoje falaremos sobre os perigos dessa prática. 

Só o pediatra deve prescrever remédio para criança

Algumas doenças são amenas e não precisam nem de medicamentos, apenas de hidratação, repouso e alimentação diferenciada. O ideal é que, se a criança ficar doente, seja levada ao pediatra que faz seu acompanhamento e tem suas fichas médicas. Esse profissional sabe a respeito da saúde, hábitos e predisposições genéticas a doenças da criança.

Essas informações ajudam a ter um diagnóstico mais preciso e, quando necessário, fazem com que o médico seja mais eficiente ao receitar o remédio para criança. Porém, caso essa recomendação não seja seguida, a criança fica sujeita aos seguintes riscos:

Sintomas mascarados

Uma dor de cabeça, tosse ou febre podem melhorar após o uso de medicamentos. O problema é que eles tratam os sintomas e não as causas, e isso pode mascarar o real problema — que pode até reaparecer de modo mais agressivo depois.

Desenvolvimento de superbactérias

Os antibióticos precisam ser usados com muito cuidado, pois, quando administrados de forma errada, têm chance de trazer mais prejuízos do que benefícios. Ao dar esse remédio para criança, o sistema imunológico é afetado, o que a deixa mais exposta a infecções.

Eles ainda podem agir nos organismos mais fracos, mas os mais resistentes são capazes de tornar imunes ao medicamento e se fortalecer. Assim surgem as superbactérias, que continuam causando a infecção e ficam mais difíceis de serem exterminadas.

Risco de superdosagem

Cada organismo reage de uma forma aos medicamentos. Por esse motivo, não é porque outra criança da mesma idade e com o mesmo peso toma uma quantidade do medicamento que a outra também pode.

Para que os medicamentos sejam usados da forma correta, a dosagem é calculada de acordo com alguns fatores como idade e peso, mas também leva em conta o histórico médico e os medicamentos que possam estar sendo usados simultaneamente.

Dependência

Ao contrário do que algumas pessoas imaginam, não são apenas os medicamentos tarja preta que podem causar dependência. Analgésicos, por exemplo, também podem viciar e, com o passar do tempo, há necessidade de uma dose cada vez maior para surtir o mesmo efeito.  

Para evitar que isso aconteça, o médico realiza uma supervisão para regular a dose e o tempo de tratamento, de forma que o corpo não sinta carência do aumento das doses.

Hemorragia

Medicamentos que contêm ácido acetilsalicílico conseguem produzir o efeito de reduzir dores e inflamações. Porém, eles também dilatam os vasos sanguíneos e impedem que o sangue coagule.

Dessa forma, se a criança tiver lesões internas ou machucados, a ferida não cicatrizará. Além disso, é possível que ocorra perda de sangue abundante (hemorragia).

Medicamentos naturais estão liberados?

Os medicamentos naturais são chamados dessa forma por não conterem químicos em sua composição. Entretanto, mesmo as plantas medicinais podem trazer efeitos colaterais e, dependendo da concentração, podem até provocar intoxicação.

Mesmo o mel, que é doce e realmente alivia a dor de estômago e irritações na garganta, quando usado durante uma virose pode causar diarreia e agravar a desidratação. Além disso, fitoterápicos e chás de plantas também correm o risco de interagir com outros medicamentos. Portanto, só devem ser usados após a consulta com o pediatra.

Você entendeu os motivos pelos quais não se deve dar medicamentos para crianças sem a devida orientação? Ficou com alguma dúvida? Deixe suas respostas nos comentários!

Sobre o autor

Drogarias Brasil

Deixar comentário.