Medicamentos

O medicamento genérico realmente é eficaz?

Escrito por Drogarias Brasil

Por ser mais barato, muita gente ainda acredita que o medicamento genérico é menos eficiente ou fabricado com materiais mais fracos. Entretanto, esse engano geralmente é causado apenas por falta de informação.

Afinal, na verdade, esse tipo de medicamento é tão eficiente quanto os de referência — aqueles com nomes comerciais que são mais conhecidos. Para entender melhor sobre o assunto, basta continuar a leitura deste post!

Por que o medicamento genérico é mais barato?

Essa costuma ser a maior dúvida, afinal, como os valores às vezes se diferem bastante, há quem fique com dúvidas sobre a eficiência e procedência do produto. Ocorre que um medicamento chamado de referência é aquele inovador, que o laboratório fez pesquisas, testes e análises para criar a fórmula.

Com isso, ele ganha a patente e a exclusividade de comercialização por 10 a 20 anos. Nesse período, somente esse laboratório pode vender o medicamento, que recebe um nome comercial. É por esse motivo que eles ficam mais conhecidos.

Essa ação tem o intuito de fazer com que o laboratório consiga ter o retorno do investimento que foi feito durante a criação do medicamento. Então, quando a patente acaba, outros laboratórios podem usar a mesma fórmula para reproduzi-lo.

Como esses outros laboratórios só precisam reproduzir a fórmula, os custos ficam menores e, consequentemente, os medicamentos são mais baratos. Além disso, por lei, os medicamentos genéricos precisam custar 35% menos do que os de referência.

Os efeitos dos medicamentos genéricos são os mesmos dos de referência?

Assim como os outros, os medicamentos genéricos também precisam passar por testes de qualidade da ANVISA. Eles comparam inclusive características como princípio ativo, concentração e a ação que ele tem no organismo. Até mesmo a via de administração deve ser a mesma.

Tudo para assegurar que a eficiência será igual à dos medicamentos de referência. As únicas diferenças são com relação à identificação, pois o medicamento genérico não pode ter nome comercial e deve vir com uma tarja amarela com os dizeres “Medicamento Genérico”, para que possa ser identificado mais facilmente.

Por que as pessoas não optam sempre pelos genéricos?

Agora você pode estar se perguntando: se o medicamento genérico é tão bom e custa menos, por que nem todo mundo opta por ele? Na verdade, geralmente, as pessoas podem preferir determinada marca ou ainda não saber que os genéricos têm a mesma equivalência.

O programa de medicamentos genéricos aqui no Brasil foi criado em 1999, quando foi promulgada a Lei 9.787/99. O objetivo é disponibilizar o acesso a diversos medicamentos a preços mais baixos, possibilitando que pessoas com menos condições financeiras pudessem adquiri-los.

No início, havia ainda muita dúvida sobre eles, o que resultou na propagação de algumas informações incorretas, como o mito da eficiência reduzida. No entanto, esse cenário tem mudado cada vez mais, já que as informações sobre os genéricos terem os mesmos efeitos têm sido cada vez mais divulgadas e comprovadas.

Diante do que vimos aqui, é possível concluir que optar pelo medicamento genérico não interfere no tratamento e que ele é tão eficaz quanto o medicamento de referência. A única diferença está, realmente, na embalagem e no valor.

Há ainda os medicamentos similares, que se diferem em características como tamanho e forma, prazo de validade e embalagem, entre outras. Para saber mais a respeito deles, aproveite para conferir também nosso post sobre as principais diferenças entre os tipos de medicamentos!

Sobre o autor

Drogarias Brasil

Deixar comentário.