Bem-estar Saúde

Crises de enxaqueca: entenda as causas e como controlar

Escrito por Drogarias Brasil

Cabeça latejando, ânsia de vômito, dores na nuca… Você já apresentou esses sintomas ou conhece alguém que os tenha? Fique atento: pode ser enxaqueca.

Quem sofre com as crises de enxaqueca sabe muito bem quão incapacitantes elas são. E não são poucas as pessoas afetadas por esse mal: segundo dados da Organização Mundial de Saúde, ela atinge cerca de 30 milhões de brasileiros.

Quer saber mais? Preparamos um post recheado de informações para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto. Confira tudo sobre crise de enxaqueca!

O que é a enxaqueca?

A enxaqueca é, resumidamente, um tipo de cefaleia (dor de cabeça), bastante comum e dolorosa. É difícil definir essa condição complexa devido aos seus sintomas muito variados, que podem divergir de pessoa para pessoa. Além disso, cada indivíduo pode ter os episódios ativados por fatores diferentes, conhecidos como gatilhos.

As crises também não são padronizadas, podendo diferir em duração e frequência. Porém, elas normalmente duram entre 4 e 72 horas. Entre os tipos de enxaqueca, podemos citar:

  • sem aura;
  • com aura;
  • crônica;
  • menstrual.

Quais são as causas e gatilhos?

Não há um consenso sobre as causas exatas da enxaqueca. A maioria dos médicos e estudiosos, no entanto, acredita que ela esteja relacionada a alterações químicas no cérebro e que tenha um caráter hereditário.

A crise de enxaqueca começa quando as células nervosas enviam sinais que causam a vasoconstrição dos vasos sanguíneos cerebrais, que se expandem em seguida. Essa é a fonte da sensação de dor latejante, tão característica do problema.

Embora as suas causas não sejam definidas, existem vários gatilhos que podem desencadear as crises. Conheça os principais a seguir:

  • sono insuficiente ou em excesso;
  • longos períodos em jejum;
  • estresse;
  • ansiedade;
  • excesso de cafeína;
  • alterações hormonais nas mulheres;
  • exposição excessiva à luz;
  • desidratação.

Quais são os principais sintomas e estágios?

Os sintomas mais comuns incluem, além da dor de cabeça latejante, fatores como sensibilidade à luz e ruídos, náuseas, vômitos e falta de energia.

As crises de enxaqueca acontecem em estágios e, com o autoconhecimento, fica mais fácil prever quando uma delas se aproxima. O primeiro é o estágio premonitório, no qual surgem os sintomas iniciais: cansaço, rigidez ou dores na nuca e sensação de sede.

Nos casos de enxaqueca com aura, a presença desse problema vem em seguida, com duração entre 15 a 60 minutos. Ela se apresenta por meio de distúrbios sensoriais, como pontos cegos ou flashes de luz na visão. Algumas pessoas têm sintomas mais graves, como formigamentos e desmaios.

No estágio seguinte, ela aparece: a dor de cabeça. Ela ocorre, na maioria das vezes, apenas de um dos lados ou na frente da cabeça e piora com a movimentação. No último estágio, os sintomas desaparecem. Isso ocorre lentamente, podendo levar alguns dias, e deixa uma sensação de “ressaca”.

Como é feito o diagnóstico?

É importante procurar um médico em casos de dores de cabeça constantes, para que outras condições mais sérias sejam eliminadas. Uma consulta garantirá que o tratamento seja adequado ao seu problema.

O diagnóstico é feito baseado no histórico do paciente, que contará com informações como a presença de outros casos de enxaqueca na família e a descrição dos sintomas apresentados.

Quais são os principais tratamentos?

Para um tratamento eficaz, é importante não focar apenas em remediar os problemas, mas também em sua prevenção. Por isso, o paciente é instruído a evitar as situações desencadeadoras de crises e a adotar um estilo de vida mais saudável, livre de vícios e com a prática de atividades físicas regulares e de uma alimentação equilibrada.

O tratamento medicamentoso pode ser preventivo, aquele em que os remédios são administrados antes de a dor se instalar (ou no início delas), ou para o tratamento da dor. São utilizados betabloqueadores, analgésicos, anti-inflamatórios, entre outros.

Existem ainda outras alternativas, como o uso da toxina botulínica (botox) ou sessões de massagem, shiatsu, quiropraxia e acupuntura.

Como podemos ver, não é nada fácil lidar com esse problema. Uma crise de enxaqueca deixa qualquer pessoa indisposta e pode trazer prejuízos à vida social e profissional. Sendo assim, em caso de sintomas, busque ajuda médica!

Quer continuar informado sobre assuntos da área da saúde? Então curta a nossa página no Facebook!

Sobre o autor

Drogarias Brasil

Deixar comentário.