Medicamentos Saúde

7 mitos e verdades sobre Medicamentos Genéricos

Medicamentos Genéricos
Escrito por Drogarias Brasil

Os medicamentos genéricos surgiram no mundo há mais de 40 anos, mas só foram instituídos no Brasil em 1999. Estima-se que 83% dos brasileiros confiam na eficácia desses remédios. Entretanto, por mais que a qualidade seja comprovada, há ainda quem duvide do produto.

Neste post, você descobrirá 7 mitos e verdades sobre medicamentos genéricos, incluindo sua eficácia, qualidade, custo-benefício, etc. Confira!

1. Medicamentos genéricos são mais baratos por não terem qualidade

Mito! Associar valores mais em conta com a qualidade inferior é uma forma errônea de enxergar os medicamentos. Os genéricos possuem os mesmos princípios ativos de uma marca conhecida e são esses os responsáveis pelo alívio dos sintomas que motivaram a prescrição.

Eles saem mais baratos porque não são inseridos valores com propagandas e nem custos de pesquisas sobre o princípio ativo.

2. Medicamento genérico substitui o de marca

Verdade! Genéricos possuem o mesmo princípio ativo, são administrados pela mesma via e têm a dose farmacêutica igual. Os efeitos são comprovados pela ANVISA antes de chegarem às farmácias. Pessoas com doenças crônicas torcem o nariz para esse tipo de medicamento, mas saiba que eles são eficientes e não agravam os problemas.

3. É difícil identificar o remédio genérico

Mito! Os genéricos possuem identificação externa nas embalagens. Obrigatoriamente têm a sigla MG (Medicamento Genérico) ou apresentam um destaque no rótulo.

4. A receita é indispensável para comprar medicamentos genéricos

Verdade! O controle rigoroso para a compra de determinados remédios é o mesmo para os medicamentos genéricos.

Vale destacar que as medicações que podem ser comercializadas sem receitas também têm a venda dos seus similares sem prescrição médica.

5. Os processos de vigilância e inspeção são os mesmos

Verdade! Os genéricos passam até por mais testes da ANVISA, com o intuito de realmente comprovar a sua eficiência.

As avaliações são feitas da mesma maneira, mas a autorização para um genérico entrar no mercado é ainda mais rígida, pois há uma preocupação maior com a qualidade do produto.

6. É perigoso fazer automedicação de genérico

Verdade! Assim como qualquer outro medicamento, os genéricos precisam ser receitados por um profissional da saúde. Estima-se que mais de 20 mil vítimas da automedicação morrem por ano no Brasil.

Dores de cabeça, cólicas, febres, inflamações, gripes e viroses são os sintomas mais comuns da automedicação. Portanto, fique atento e lembre-se de que a ingestão de qualquer remédio em excesso pode ser fatal.

7. Todo medicamento referência já tem seu genérico

Mito! Grande parte dos remédios de marca possuem patente. Normalmente, esse título dura 20 anos, ou seja, não é possível produzir medicamentos genéricos — com o mesmo princípio ativo — de determinados fabricantes dentro desse período. Os produtos mais recentes disponíveis no mercado não possuem similares.

Você pode perguntar ao seu médico se há algum remédio parecido, que possa ser substituído pelo genérico. Na maioria dos casos, a prescrição do medicamento segue a mesma dosagem e forma de uso. Mas é bom alertar que alguns profissionais optam por não indicar esse tipo de fármaco.

Os medicamentos genéricos possuem a mesma eficiência e controle de qualidade que os de marcas que são referências. Sob nenhuma hipótese troque a sua medicação por conta própria! Converse com o seu médico e cheguem a um consenso.

Quer ficar por dentro das novidades sobre medicamentos e cuidados com a saúde? Então assine a nossa newsletter agora mesmo!

Sobre o autor

Drogarias Brasil

Deixar comentário.